Museu de Confluências - Lyon, France

Data final da construção: 
Abr-2013
Software: 
País: 
France

Introdução

Após licitação internacional iniciada em 2002 pelo Ministro da Cultura Francês, o time vencedor, do arquiteto Rudy Ricciotti, foi designado para o projeto do MuCEM no píer J4 em Marsellha.
 

Descrição do MuCEM

A ideia arquitetônica escolhida era de construir uma estrutura moderna, audaciosa e consciente da sustentabilidade. Dessa forma foi escolhido o uso do UHPFRC para os elementos principais da estrutura: pilares em formato de arvores, vigas capazes de resistir longos vãos, fachada e telhados em forma de rede e uma ponte de pedestres ligando o edifício com o Forte de Saint Jean.
Um grande pesquisa foi feita para integrar os elementos em  UHPFRC na estrutura do edifício, devido a necessidade de pré-fabricar esses elementos.
 

Estrutura de apoio em UHPFRC

Os elementos verticais de apoio refletem sua função estrutural através de formatos espaciais desenvolvidos juntos com o arquiteto responsável. As ligações dos pilares uns com os outros, com a fundação e com as vigas laterais dos pisos foram protendidas, aumentando a tensão resistente do UHPFRC. A protensão com cabos engraxados e encapados começa na parte inferior de cada pilar-árvore. À medida que o edifício vai ficando mais alto, os cabos se multiplicam em diferentes frentes. A tensão é aplicada progressivamente desde o topo, seguindo as fases predeterminadas.
Os pilares-árvores participam da fachada travando a estrutura em plano. Durante a fase de concepção e levando em consideração o dimensionamento para abalos sísmicos, juntas de dilatação foram eliminadas, as vigas laterais foram protendidas levando em consideração o efeito da temperatura, elementos pré-fabricados foram articulados nos dois apoios usando articulações Freyssinet . O travamento lateral é feito pelo núcleo central.
 

Cobertura e Fachada em painéis UHPFRC

Os painéis da cobertura de luz solar foram estruturados utilizando-se cordoalhas seguindo especificação dos desenhos arquitetônicos. Cada painel de 6x3m são justapostos para organizar o carregamento de maneira a formar um desenho contínuo entre os painéis. A fachada é resistida pela fundação verticalmente, e horizontalmente é segura por pinos ligadas aos postes verticais da parede do Museu.
 

Vigas em UHPFRC

​As vigas I gêmeas de 23,40m de comprimento resistem aos esforços das lajes das áreas de exibição do Museu. As vigas são pré-fabricadas. A protensão  é calculada sob carregamento quase- permanente para evitar curvatura por fadiga.  Para se adequar as normas de abalos sísmicos as vigas foram feitas em concreto de alto desempenho C60/75 ao invés de UHPFRC. A altura das vigas  foi aumentada em 11 cm.
 

Ponte de Pedestres ligando o Forte de Saint Jean

Essa ponte de pedestres tem corrimão apoiado e vãos de 21m, 68m e 30m. O vão total é de 130m e consiste em 26 segmentos em UHPFRC montado em protensão. O formato esbelto, reto em plano e levemente curvado em altura (41cm) tem 2 apoios em cada lado e um vão em balanço de 82m.
O deck (laje) em UHPFRC  tem travamento em diagonais  e é fixo nesses segmentos para formar o travamento horizontal.
 

Análise estrutural e dimensionamento com o Scia Engineer

O software foi usado para os seguintes estudos:

  • O dimensionamento dos pilares-arvore em UHPFRC 
  • A análise estática e dinâmica da estrutura do MuCEM

Cálculos avançados não-linear foram realizados para o dimensionamento dos pilares, levando em consideração o comportamento não linear do UHPFRC. Testes reais foram realizados no Centro Científico e Técnico de Batiment  (CSTB Centre Scientifique et Technique du Bâtiment) em 3 pilares retos e 3 pilares formato Y (árvore). Isso permitiu caracterizar os 3 materiais em UHPFRC, os quais  apresentaram resultados conservativos de cálculo.

 

 

Imagens & Screenshots